Programa de incentivo à internacionalização reuniu 25 participantes de ambientes de inovação e entidades parceiras da Anprotec em Florianópolis

No dia 15 de agosto, logo após o Innovation Summit Brasil, o Programa land2land realizou um Workshop com a temática “Oportunidades de expansão internacional para empresas inovadoras”. A atividade aconteceu no Centro de Visualização Floripa Interativa (CVFI), no edifício InovaLab do Sapiens Parque, na capital catarinense.

O dia teve início com as boas-vindas dos três representantes que realizam o Programa land2land – a Anprotec, a ApexBrasil e o Sebrae. Logo em seguida, o chefe da Divisão de Promoção Tecnológica I do Ministério das Relações Exteriores, Luís Fernando Corrêa da Silva Machado falou sobre as principais diretrizes da política internacional brasileira, as áreas de atuação do Itamaraty em relação às políticas externa,  comercial  e econômica, negociações bilaterais e regionais (Américas, Ásia, Oceania, Rússia, Oriente Médio, Europa e África) e ainda sobre os mecanismos de integração, como o BRICS.

Luís também falou sobre as atividades das SECOMs e SECTECs nas embaixadas e consulados do Brasil espalhados pelo mundo, bem como dos instrumentos de apoio, atividades, e programas oferecidos atualmente pelo Itamaraty (ou com seu apoio) para sensibilização, incentivo e desenvolvimento do processo de internacionalização de empresas.

Em seguida, Mariana Gomes, da Gerência de Projetos Setoriais da ApexBrasil, fez um overview sobre a Agência, destacando as ferramentas de apoio oferecidas para internacionalização (exportação, estratégia, atendimento customizado de empresas, etc.).

Cristina Mieko Costa Bando, da Unidade de Inovação do Sebrae Nacional, também falou sobre as diversas ferramentas de apoio oferecidas para internacionalização de micro e pequenas empresas por parte do Sebrae Nacional.

Encerrando o período da manhã, Felipe Augusto Melo de Oliveira, coordenador-geral de disseminação para inovação do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), abordou as iniciativas do Instituto no âmbito da internacionalização, ressaltando os benefícios trazidos pela adesão do Brasil ao Protocolo de Madrid.

No início da tarde, Elso Alberti Júnior, diretor de relações internacionais da Anprotec, apresentou as diretrizes da área internacional da Associação e chamou dois cases para apresentação.

O primeiro deles foi exposto por Rodrigo Mendes, da coordenação internacional do Parque Tecnológico de São José dos Campos, que falou sobre as experiências práticas do Pqtec nesse contexto, principalmente quanto ao reconhecimento internacional que o ambiente já tem hoje.

O segundo case foi apresentado por uma empresa vinculada ao Celta, ambiente de inovação associado à Anprotec, que falou sobre o processo de expansão da TNS Nanotecnologia. A TNS participa de dois ciclos do programa Startout Brasil (programa de internacionalização de startups brasileiras): Berlim e Santiago e possui vasta experiência na exploração de oportunidades em outros mercados.

O Workshop foi encerrado por Simone Torrescasana, da Coordenação de Projetos Internacionais e Internacionalização de Empresas da Anprotec, que complementou a fala de praticamente todos os palestrantes, citando iniciativas (ou apoios) da Associação tanto no âmbito da internacionalização de empresas – principalmente via programas land2land e Startout Brasil, quanto no contexto da ampliação da participação da Anprotec em redes de cooperação internacionais.