Na última quinta-feira, 30 de julho, o land2land Connect Lisboa obteve mais de 550 acessos durante sua transmissão ao vivo pelo canal da Anprotec no Youtube ao reunir importantes ambientes de inovação portugueses, que apresentaram oportunidades de softlanding, programas de aceleração e incubação, e conexões com empresas de venture capital às startups brasileiras com interesse em iniciar ou acelerar seu processo de internacionalização.

O land2land Connect é uma iniciativa do Projeto de Internacionalização de Empresas Inovadoras, land2land, que visa o desenvolvimento da competitividade de empreendedores no Brasil e no exterior a partir de capacitações para internacionalização, matchmaking com empresas sinérgicas e promoção de inserção dos produtos no mercado internacional.

Nesse sentido, a edição Lisboa foi a primeira de uma série de seis encontros virtuais com oportunidades de internacionalização em diferentes ecossistemas de inovação mundiais. A próxima edição acontece no dia 26 de agosto e trará especialistas de Santiago, no Chile. As inscrições serão abertas em breve.

Moderado pelo diretor de redes e associados da Anprotec, Jardel Mattos, o land2land Connect Lisboa teve início com a participação do chefe da divisão de promoção de tecnologia do Ministério das Relações Exteriores, Luís Fernando Machado, que falou sobre a iniciativa dos encontros virtuais, a escolha dos ecossistemas e a programação do dia.

Em seguida, Pedro Luiz Filho, chefe do setor de ciência, tecnologia e inovação da embaixada do Brasil em Lisboa, fez uma apresentação sobre o ecossistema local, incentivos e programas de apoio e iniciativas promovidas pela embaixada. “Portugal está em 12º no ranking dos maiores ecossistemas de inovação emergentes e possui nota máxima em conexões globais. São 1082 startups e scaleups e 152 incubadoras e aceleradoras”.

Flávia Guerra, do European Funding Projects, falou sobre os fundos europeus para o desenvolvimento de PMEs e startups. De acordo com ela, essas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, representando 99% dos negócios gerados e sendo essenciais para o crescimento econômico, a inovação, a criação de empregos e a integração social. “Portugal recebeu 25 bilhões de euros dos Fundos Europeus para investir em quatro domínios temáticos: inclusão social e emprego; sustentabilidade e eficiência no uso dos recursos; competividade e internacionalização – esse com foco em startups, scaleups e PMEs – e capital humano”, disse Flávia, que também falou sobre o EIC Accelerator Pilot na ocasião.

O head de estratégia da Startup Lisboa – uma das principais incubadoras em Portugal – André Costa, que é responsável pelas áreas de investimento, desenvolvimento de negócio, parcerias e mentorias, apresentou o Launch in Lisbon, que visa apoiar empreendedores, empresas e investidores que procuram conhecer melhor a realidade do ecossistema tecnológico português. “O programa está focado em providenciar aos participantes todas as respostas que necessitam para garantir uma mudança adequada e simples de pessoas e empresas para Lisboa”, explicou André.

Rui Miranda, coordenador do TecBIS Aceleradora de Empresas – infraestrutura do Instituto Pedro Nunes, que apoia empresas de base tecnológica inovadoras de alto potencial de crescimento no desenvolvimento de suas capacidades de internacionalização, apresentou o Instituto e o ecossistema de inovação da região de Coimbra, e deu enfoque aos programas de aceleração de empresas de base tecnológica abertos, como o ESA BIC Portugal e o IneoStart.

O fundador e CEO da Fábrica de Startups, S.A., Antônio Lucena de Faria, falou sobre o Starting in Portugal – programa de internacionalização dedicado às startups brasileiras com o objetivo de apoiar os empreendedores a expandir seus negócios no mercado Europeu através de pré-validação, validação e lançamento, reduzindo riscos e avaliando o potencial de cada negócio em termos de internacionalização. “Seguindo a abordagem do Lean Startup, é necessário desenhar um modelo de negócio e realizar uma série de experiências que nos permitam validar as hipóteses mais críticas, como as relacionadas com clientes, propostas de valor, canais de distribuição, táticas de marketing e preços. A Fábrica de Startups trabalha há oito anos em processos de validação de mercado a partir de programas de incubação e aceleração para garantir o sucesso e minimizar o risco na definição estratégica dos projetos”, explicou o CEO.

Por fim, o diretor de investimento da Portugal Ventures, João Pereira, apresentou o fundo de seed que investe até 1 milhão (USD) em oportunidades com base em Portugal nas áreas: Digital, AgTech, Industry 4.0, Travel&Leisure e Life Sciences, favorecendo o investimento com outros fundos de venture capital e business angels portugueses e internacionais. “Oferecemos fundos (capital), rede de contatos com parceiros e investidores nacionais e internacionais, know-how e track record, cross knowledge e cross seling”.

Todas as sessões foram dinâmicas com momentos de interação com o público do Youtube. Confira o debate completo por esse link!

Confira o calendário preliminar do land2land Connect!

Outras edições do land2land Connect estão previstas para acontecer mensalmente com diferentes ecossistemas de inovação ao redor do mundo, como Santiago, no Chile; Toronto, no Canadá; Xangai, na China; Boston, nos Estados Unidos; e Paris, na França.

Santiago – 26 de agosto

Toronto – 29 de setembro

Xangai – 28 de outubro

Boston – 10 de novembro

Paris – 24 de novembro

Os eventos são gratuitos e com cadastro de inscrição obrigatório.

O land2land Connect é uma iniciativa da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), e do Programa de Diplomacia da Inovação, do Ministério das Relações Exteriores (MRE).